Blogia
Comitè de Suport al MST de Barcelona

SUPORT MILITANTS MST PERNAMBUCO

Benvolguts amics/gues,
De nou, el poder repressor de les autoritats judicials brasileres s’ha posat en marxa. En aquest cas es a la regió de Gameleira a l’Estat de Pernambuco, on la Jutjessa ha decretat la presó de cinc militants del Movimento dos trabalhadores Rurais Sem Terra.
Per això, us demanem que us adheriu a la carta adjunta, fent enviar una còpia les adreces que us indiquem i també a la nostra mstbcn@pangea.org.
Moltes gracies.
Cordialment
COMITÉ DE SUPORT AL MST
BARCELONA

ADRECES:

MST-PERNAMBUCO
e-mail cndhpe@mst.org.br ou mstperecife@yahoo.com.br

DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TJ-PE
José Antônio Macedo Malta
Fone/fax: (81) 32243119
(81) 34193311
(81) 34243811
e-mail: ouvidor@tjpe.gov.br

JUIZA DA COMARCA DA GAMELEIRA
Dulceane Maciel de Oliveira
Fone/fax : (81) 36791111 –

PROMOTOR DA COMARCA DA GAMELEIRA
Valdir Mendonça
Fone/fax : (81) 36791111

ALTRES ADRECES:
Governador Jarbas Vasconcelos
governo@fisepe.pe.gov.br

Vice-Governadoria de Pernambuco
vicegov@fisepe.pe.gov.br

Secretaria de Justiça e Direitos Humanos
sejudh@sejudh.pe.gov.br

Secretaria de Produção Rural e Reforma Agrária
Secretário: Ricardo Rodrigues

Procuradoria Geral do Estado
Procurador: Sílvio Pessoa
pge@fisepe.pe.gov.br
Centro Dom Helder Câmara de Estudos e Ação Social
Sigla/nome curto: CENDHEC
Endereço Eletrônico: cendhec@elogica.com.br


MODEL DE CARTA


__________________________vem manifestar solidariedade as 150 famílias de trabalhadores/as rurais Sem Terra que há quatro anos reivindicam o direito social de existência na busca pela efetivação da Reforma Agrária, nas terras improdutivas da usina Estreliana, no município de Gameleira.

Compreendemos legítimo o direito de manifestação de todas/os que no exercício de sua cidadania reivindicam justas condições de sobrevivência. Assim, repudiamos a tentativa de intimidação dos trabalhadores que lutam pela Reforma Agrária com a recente decretação das prisões preventivas de Ivaldo Martins da Silva, Severino Herculano da Silva, Vilma Maria Herculano, José Bernardo de Sena e Jaime Amorim. A decretação de tais prisões denota ameaça à liberdade de reivindicação e criminaliza trabalhadores/as sem que haja os fundamentos plausíveis para aplicação de medida tão rigorosa, comprometendo dessa forma a credibilidade da justiça. A mesma justiça que custa a reconhecer o direito dos trabalhadores/as negando a imissão na posse da terra, ao mesmo tempo quer cercear a liberdade de ir e vir de trabalhadores/as que visam tão somente a efetivação mínima de direitos.

Entendemos que a luta dessas famílias visa não apenas a subsistência. A realização da reforma agrária implica, antes de tudo, na concretização de direitos fundamentais à educação, ao trabalho, à moradia, a centenas de famílias alijadas historicamente dos benefícios sociais.

Por ser de direito, apelamos para Vossa sensibilidade e pugnamos pela revogação das prisões decretadas contra os trabalhadores que participaram da justa manifestação realizada no último dia 15 de dezembro, buscando JUSTIÇA!

Atenciosamente,

¿Y esta publicidad? Puedes eliminarla si quieres.
¿Y esta publicidad? Puedes eliminarla si quieres

0 comentarios

¿Y esta publicidad? Puedes eliminarla si quieres